Quote Semanal

“— Ah, Edward.— Ela suspirou enquanto ele acariciava seu rosto com as mãos ensanguentadas e a beijava delicadamente.

Edward afastou o rosto dos lábios dela.

— Eu amo você”

—O Príncipe Corvo

Entrevista com Lady of Fear

Hey, galera! Sei que é estranho eu voltar aos posts de entrevista, mas essa é uma em especial.
Já estão familiarizados com o Mês de Prevenção ao Suicídio, não? Então, venho lhes trazer uma entrevista baseada nisto, entrevistando ninguém menos que Lady of Fear, nossa colunista querida.




O que acha da campanha Setembro Amarelo? Como você se sente ao participar dela?

R: Acho uma ideia maravilhosa, só fui entender mesmo o que era a campanha quando comecei a ver que minha situação piorava e que tinha pessoas se manifestando para ajudar a combater o suicídio. 


Você citou que tinha outros problemas além da Depressão, quais são?

R: Eu tenho síndrome do pânico só que em um grau mais leve, consigo sair de casa mais fico com mania de perseguição (medo de estar sendo seguida para poderem me assaltar) e ansiedade sempre fui muito ansiosa mais não de passar mal em relação a isso.


Como você definiria a Depressão?

R: Muito difícil definir como eu acho que é a depressão, mas sei explicar como eu me sentia/sinto. Hoje por exemplo é um dia aonde não estou muito bem e passando por uma das crises que agora raramente eu passo (Graças a Deus) me sinto num vazio, tudo ao meu redor conspira para que eu fique pior e é como se eu me afundasse cada vez mais no mar que é a depressão, sinto como se eu fosse sendo puxada para baixo, e começo a deixar de ter emoções e isso é a parte mais triste.


Como você soube que tinha Depressão?

R: Aos 3 anos meus pais se separaram, aos 5 comecei a ser molestada por um vizinho e o medo dos meus pais brigarem comigo pelo que ocorreu foi me consumindo, aos 11 anos meus pais descobriram e comecei a entender o que era a depressão quando comecei a fazer análise, até os 14 tudo ia bem, mas foi ai que começou, a tristeza aumentava e eu queria sufocar aquilo dentro de mim, tentei beber em algumas das crises mais o álcool não resolvia, até que começou a ideia dos cortes e cada vez mais aumentavam (enviarei um anexo das minhas pernas cortadas (elas estavam cicatrizando).



Como você está em relação a seu emocional?

R: Atualmente ando bem, de vez em quando ocorre um problema e fico meio mal e para baixo, mas isso não é mais com frequência


O que te ajuda nos momentos de crise?
R: Minha mãe, ela é a que mais me ajuda, a que perde o sono se preciso para tentar acalmar minha alma, me mostrar o quanto me ama e o quanto eu faria falta. E meu namorado também me ajuda bastante ele é outro que posso acordar no meio da noite se eu precisar, que sei que ele vai estsr disposto a me ajudar

Qual a relação entre os livros, a escrita e a Ansiedade para você?
R: Perdida me ajudou muito num momento difícil, sou muito grata a Carina Rissi, atualmente eu tenho escrito poemas e pedido da minha professora, mas nenhum livro ainda e a ansiedade é uma coisa de família. 


Você tem o apoio da sua família, amigos?

R: Total apoio, minha mãe me apoia em tudo (menos em tirar minha vida) 😂😂


Você chegou a tentar suicídio? Como foi essa experiência?

R: Sim e não, me cortei diversas vezes, pensei em tomar chumbinho uitas outras, se jogar na frente do ônibus sem dúvida, mas (se você não é religioso me desculpe mas é a verdade) Deus nunca me deixou ir adiante, nesses momentos os corte acabavam saindo na horizontal, bem em cima da veia não era fundo o suficiente, ele me protege não há como negar


O que você faz para tentar vencer a Depressão? Toma algum remédio para isso, ou para controlar a ansiedade?

R: Cheguei a tomar remédio para aumentar a baixo estima que é o que me deixa pior, mas nunca foi necessário, mas já cheguei a fazer terapia por mais de 1 ano e com psicólogos diferentes


Deixe uma mensagem para as pessoas que estão passando o mesmo que você.

R: Não vou deixar uma mensagem, e sim o poema que apresentei no concurso de poesias ds escola e ganhei o primeiro lugar (e eu achando que depressão não ganhava o primeiro lugar)

 *Um grito no escuro*
A vida tem uma série de fatos tristes.Uns lidam bem, já outros não.
Escrevi esse poema porque já fui/sou uma dessas pessoas.
Gritei, chorei, procurei uma luzE o nada apereceu.
Nada de vontadeNada de ânimo Nada de interesse
Chorei ainda mais.Como pode alguém Querer tirar a vida? 
Gritei novamente.E o nada continuo 
Mais junto dele uma dor, E com ela marcas Que sempre carregarei em minha vida
Para uns é difícil de entender.A dor física é menor Que a emocional
Gritei pela última vezE Já sem esperanças deMe ouvirem griteiE finalmente a luz apareceu
Essa luz tem vários nomes, Várias formas E muitos modos diferentes
Seja você uma luz no fim do túnel Seja o porto seguro de alguém Porque se eu não tivesse o meu.Bem, esse poema jamais teria sido escrito.Seja a luz

Lembre-se: Falar é sempre a solução


0 Comentario "Entrevista com Lady of Fear"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Seja um

Aprendiz!

Aprendizes pelo Blogger

Aprendizes no Facebook

Aprendizes por E-mail

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *