Quote Semanal

“— Ah, Edward.— Ela suspirou enquanto ele acariciava seu rosto com as mãos ensanguentadas e a beijava delicadamente.

Edward afastou o rosto dos lábios dela.

— Eu amo você”

—O Príncipe Corvo

Sabe aquela ideia de comparar o livro com o filme?



Oie pessoas lindas, tudo bem? Espero que sim, minhas ferias começaram e eu estou super animada. Primeiro fui convidada a ser analista de um editora, segundo irei atualizar todos os livros pendentes e trazer postagens com mais frequência, também me descobri escrevendo terror e isso é algo bom. Mas chega de falar de mim não é? Vamos ao post de hoje quentinho e trago uma opinião sobre o livro e filme Como eu era antes de você. 




Sabe aquela ideia de comparar o livro com o filme? 


Jojo Moyes é, sem sombra de dúvidas, uma das autoras mais comentadas do cenário literário atual. Não tem jeito. Jojo é pop. Cada livro é um flash! E são milhões de leitores mundo afora que se encantam com suas histórias. Palmas para ela que conseguiu captar para si a atenção de uma legião de Jojo Lovers

Em Como eu era antes de você, ela nos mostra seu talento para envolver o leitor com uma narrativa atrativa que gera em quem lê a expectativa da descoberta do desenrolar da trama. Jojo parece saber que a força da escrita não reside no rebuscamento, mas na singeleza das palavras que tocam o coração do leitor, para o bem ou para o mal. Sim, meus caros, Jojo também é polêmica. Ou você achava que a história de Lou e Will é o ideal de romance que todos admiram? Não. Há controvérsias. 

O meu papel aqui não é recontar a história. Até porque acredito que a grande maioria já tenha lido a obra em questão. O livro desperta paixões e polariza a discussão: há os que defendem fervorosamente a história de amor escrita pela autora e há os que não se conformam com o desfecho dado para relação de Lou e Will, os personagens centrais da obra. 

E, convenhamos, não é tarefa fácil agradar um público acostumado com finais felizes. Mas a pergunta é: qual é o conceito de final feliz? De minha parte, eu fiquei satisfeita com o desfecho dado pela autora. A intenção aqui não é fazer apologia à questão séria tratada no livro, mas percebe-se que a autora se manteve coerente com a decisão do personagem Will.  

E me pergunto: porque tudo teria que ser belo? Jojo foi corajosa em ir contra a maré se mostrou uma autora com personalidade. Tratou com muita sensibilidade um assunto delicado e, nos apresentou uma história de carinho entre dois jovens. Ambos necessitavam um do outro. Lou necessitava de Will para desabrochar, sair da redoma de vidro que se encontrava. E Will, bem, ele precisava de Lou para também sair do castelo em que se encontrava enclausurado.  

Confesso que não fiquei triste com o desfecho. Poderia ter sido um romance tratado da forma convencional, mas Moyes subverteu a ordem das coisas e colocou um tempero a mais. Apostou alto e acertou em cheio: a discussão caiu na boca do povo, usando o jargão popular. Trouxe uma abordagem que não se restringe a fórmula mágica: mocinho + mocinha – brigas = viveram felizes para sempre. 

Ah, Moyes, você catapultou esse casal para o imaginário do leitor como o que deveria ter sido, mas não foi. E deixou no ar diversas hipóteses que sempre se iniciarão com as palavras "E se...".
E o filme? Como foi a transposição da história para o cinema? De forma geral, a versão cinematográfica se manteve fiel a trama do livro, embora alguns acontecimentos narrados no livro não tivessem sido considerados no filme, o que a meu ver, compromete o desenrolar da história. Quem leu o livro sabe o que estou dizendo. Um exemplo: não é Lou quem propõe a ida ao concerto, mas Will quem a convida para um programa diferente do que ela estava acostumada a frequentar. 


Considerei acertada a escolha dos atores, principalmente os que deram vida a Lou e Will. Eles se esforçaram para não decepcionar o público do livro e imprimiram credibilidade na atuação ao encarnarem os personagens. 

Não cheguei a me emocionar, a ponto de chorar, como o marketing do filme propõe. As lágrimas não caíram. Talvez por já ter lido o livro e saber o final da história.  

Como sempre, ainda não vi um filme baseado em livro que supere a obra escrita. E não foi com "Como eu era antes de você" em versão para telona que a minha opinião mudou. O livro ainda é melhor.  

Encerro o post por aqui, curiosa para saber a opinião de vocês: o que acharam do livro e do filme? 

0 Comentario "Sabe aquela ideia de comparar o livro com o filme? "

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Seja um

Aprendiz!

Aprendizes pelo Blogger

Aprendizes no Facebook

Aprendizes por E-mail

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *