Eu sou trouxa, sim! Eu acredito nas pessoas, me entrego ao momento e me arrisco. Sou trouxa quando acredito no que sinto e vejo, mesmo quando isto não condiz com a verdade. Sou trouxa por me sentir mal ao alimentar minha carência com alguém com quem não quero nada, embora eu tente achar maneiro, já que isso é - pasme! - normal.
                   E, por mais que eu tente bancar a desapegada e sem coração, eu não sou. Eu me preocupo, penso duas vezes, sinto e quero muito alguém que venha pra multiplicar minha paz e não para tirá-la de mim... Isso não significa que eu não erre e que não diga algumas verdades e besteiras às vezes. Não sou perfeita: sou trouxa.



2 Comentários