EEEEEita, galerinha! Mas vocês não vão acreditar! Esse mês a Editora Chiado lotou de lançamentos legais! Bora dar uma olhadinha???




As Viagens mais longas do Mundo… as da nossa Comida - Sandra Inês Cruz
O Sancho, a Aninhas, o Jonas e o Lourenço nunca tinham pensado naquilo. O arroz era uma novidade na Europa??? Houve mesmo um tempo sem batatas fritas???
Na verdade, antes de o avô lhes pedir uma história, eles não tinham imaginado, uma única vez, como seriam os almoços e jantares de há uns séculos atrás nas mesmas cidades onde hoje vivem.
Afinal – descobriram nos livros – recuando umas centenas de anos, as despensas não guar­davam os mesmos alimentos. Muitos deles eram ainda desconhecidos e demorariam a chegar.

Esta é a história da história que 4 meninos descobriram depois do primeiro almoço de férias em casa do avô. Uma história que cruza mares, continentes, tempo e muitos milhões de pessoas. E que hoje pode contar-se enquanto se come um bife com batatas fritas ou se toma, simplesmente, um café.


Contos Despertos - Sandrine Saraiva
Flávio não percebia nem compreendia o que poderia levar uma gaivota a lançar-se contra o sino. Tentou agarrá-la mas esta esvoaçava, sem parar, em redor do sino. Parecia querer transmitir-lhe uma mensagem, mas o quê? (Carlota, a Gaivota)
Sentindo-se subitamente livre, Damião começou a correr sem direção. Correu durante muito tempo e sentia-se extremamente cansado, mas não conseguia parar. Continuou assim, durante horas. Correu, sem destino e sem descansar, até desmaiar. (Sábio Corredor)

Num reino onde a magia e a fantasia marcavam a vida de todos os seres vivos, lá no alto do céu, as nuvens dançavam. Esta é a história dos Lobos e Golfinhos que viviam encantados nesse Reino distante. (Lobos e Golfinhos)
Era muito difícil equilibrarem-se; andavam aos encontrões, uns contra os outros como chocalhos. Alexandre estava paralisado, bloqueado, olhando para tudo o que se passava à sua volta; não se movia, nem reagia a nada. (Um português na Índia)
Contam que, quando era criança, Gerónimo se perdia frequentemente pelas ruas da sua própria aldeia, mas nunca no mar. (A lenda do Capitão Gerónimo)
O dia dos horrores irrompeu sem retorno para os viventes da terra: vulcões irritados explodiram derretendo montanhas inteiras. A destruição foi maciça; a raça humana praticamente dizimada. (Fatídico Dia de São Crisóstomo)



 A Reportagem - Bettina Muradás
Mulher sensual e jornalista competente, Gisele Coelho recebe uma informação e segue seus instintos.
Vai aos Estados Unidos em busca de uma grande história. O advogado Matthew Newman é o agente especializado em perseguir rastros de fraudes financeiras contratado por ela.
Divididos entre a sensualidade superficial e o romance intenso, advogado e cliente mergulham numa relação tempestuosa enquanto enfrentam criminosos e percorrem as ruas de Manhattan e as praias de um paraíso fiscal no Caribe a procura de pistas que comprovem um esquema de lavagem de dinheiro e corrupção. Nesta busca encontram as peças de um quebra--cabeça que revela segredos da vida pública brasileira. A investigação se transforma no “Dossiê Cayman” e acaba no Congresso Nacional na capital do Brasil.
Este jogo perigoso resulta numa reportagem que pode derrubar o Presidente da República e jogar na lama a reputação de políticos e nomes importantes no cenário brasileiro.


Cinzas de Abril - Joaquim Matos Pinheiro

O caminho que Joaquim de Matos Pinheiro escolheu é o caminho do Amor, nas suas inúmeras variáveis, mas sempre igual a si mesmo.

O Amor onde não importam as mágoas e angústias que se revelam perante os nossos olhos, entrelaçando e envolvendo como que num abraço apertado e que folha a folha os nossos olhos vão avidamente à procura de mais… sempre mais.
Acabamos sempre na verdade do sentimento, numa verdade que apesar de dura nos encanta, porque é verdadeira, porque identificamos quase como nossa.
 Ana Maria Lopes(Investigadora da Sociedade Histórica da Independência de Portugal) - - - () - - -
A minha vida conjugal passou a ser uma espécie de conflito aberto e inconciliável entre um cidadão europeu, cristão e católico, e uma cidadã macaense de ascendência chinesa, que não perdeu as suas influências orientais, apesar de ter sido cristianizada pela ação colonizadora dos portugueses, para o qual parecia não haver, como de facto não houve, uma saída que não passasse pelo fim do relacionamento e pela separação.
Depois destas experiências amorosas – cada qual me parecendo ser, à partida, a última e a definitiva – o que restou para mim, afinal?
Restaram, pelo menos, desilusões e um profundo e vincado sentimento de fracasso e frustração!
Excerto do último capítulo de “Cinzas”


O Ano Francês - Daniela S. Antunes Rodrigues
Pierre voltou a sentar-se e bebeu, qual insano que se tinha esquecido que era. Um trago pelo irmão, que não sabia onde andava, um pela cunhada, um pelo sobrinho e pela esposa, um pela sobrinha, e outro pela sua amada. Não, não, cospe o último que está errado. Tinha sono, o dia tinha escurecido. Que dilemas tinha ele criado, tinha imaginado para explicar tudo aquilo que o rodeava. Lá existia dilema algum, era a crua realidade que fazia a sua entrada no corpo dormente de Pierre. Não há explicação, não há razão que dê sentido à realidade dos outros. Nem à sua, por mais que quisesse. Quando é que, subitamente, deixou de ser aquele que impingia a preocupação e a dor, e passou a sofrer dessas maleitas? (…)
O isolamento era uma bênção que concedia a si próprio, para se poupar a tais tormentas. As palavras que partilhava com os outros encerravam em si um chiste que o agraciava. Estava desperto, e a consciência não se identificava com nada do que via. Não é tal coisa, a loucura? Inadequação de um indivíduo para a vivência social e para as instituições estabelecidas. Oh, se assim fosse, era demente, era excêntrico com orgulho. Não há escapatória, não há fuga possível, e essa claustrofobia leva à clausura. Sim, que aqueles que são enfiados numa qualquer cela já estão, há muito tempo, presos em si próprios. Como sair de dentro de si? Rasgar o peito, deitar para fora as entranhas, morrer, e esperar que haja fuga para a alma, se existir. Haverá escolha, então?



Inês na EB 2-3 - 3º Período - Maria Luísa Aires
Inês tem agora 15 anos e começou a ver o mundo.Curiosa, impaciente, irreverente, mas com uma grande capacidade observadora e crítica, descobre que o mundo não é perfeito, que os seres que ama e lhe servem de modelo são cheios de falhas e contradições, mas lhe impõem muitas regras.Para complicar, aparece o AMOR e também neste campo ninguém lhe facilita a vida.O que acontece?Inês revolta-se (no papel) e desabafa com o seu diário.Se espreitarmos, ficamos a conhecer todo o seu pequeno/grande mundo de adolescente em busca da sua forma.Como se sairá?Vem conhecer o mundo de Inês- a sua família, a escola, os amigos. Verás o quanto tens em comum com ela.


No Tempo das Roças - Francisco Assis Brito
 Este livro retrata, de maneira romanceada, experiencias diversas, vividas pelos antigos contratados (de Cabo Verde, Angola e Moçambique) para as roças de S.Tomé e Príncipe, a partir dos anos 50 até os nossos dias, e as sequelas deixadas na suas vidas e nas dos seus descendentes. Deplora, igualmente, a desvalorização, destruição e abandono das ricas infraestruturas das antigas roças, que podiam ter continuado a contribuir para a beleza e o desenvolvimento dessas ilhas maravilhosas do Equador. 




Junto Ao Nosso Mar - Vanessa Pereira

 Raquel. Uma mulher madura e sonhadora, que ama como se ama o amor. Romeu. Um surfista com medo de amar, mas que não sabe o significado do verdadeiro amor. Rui. Um humilde pescador que quer fugir da infelicidade. José. Um artista sem-abrigo, que ajuda o próximo com sabedoria. Celina. Uma jovem forçada a habitar uma vida de sofrimento. Paulo. Um surfista amputado de uma perna, que tenta renascer através da poesia. Penélope. Uma professora sobredotada com vontade de partilhar. Diogo. Um jovem com esclerose lateral amiotrófica que luta pela vida. Esperança. Uma mulher com o dom da escrita, que não consegue falar. Agostinho. Um velho sábio que se entregou à solidão. Conceição. Uma comerciante ferida pelo passado, mas ansiosa por recuperar o sorriso.Rosário. Uma viúva que respira memórias.Joaquim. Um avô que se esqueceu de olhar para a lua.
Com uma sensibilidade ímpar, a autora transporta-nos para breves e impressionantes histórias de vida, em torno do amor e das águas do mar.

Jesus Até o Fundo do Coração - Teresa Ferrer Passos

 Este romance tem como motivo central a figura de Jesus. É ele próprio que traça, ao longo da narrativa, um retrato da sua intimidade mais recôndita, como se se tratasse de uma memória auto-biográfica. Num constante monólogo interior que olha o interior e aquilo que vem de fora, Jesus deixa escapar um diálogo incisivo com aqueles que dele se aproximam. Neste contexto, pretendemos oferecer em Jesus até ao Fundo do seu Coração, um paralelo com a fotografia do homem no seu interminável diálogo com aquilo que o supera.




Ainda Há Tempo - Francisco Pereira Nunes 

 Afinal apesar de o tempo passar nos relógios, nos telemóveis, nos computadores como se não houvesse mais amanhã, ele ainda subsiste como uma verdade absoluta, afinal o que é o tempo? O tempo mais não é que um momento que já passou, que ainda passa, e que ainda passará, a importância que atribuímos ao tempo é toda ela subjetiva.






Leonor - Pedro Sequeira de Carvalho
Emanuel, um moço descontraído, inteligente e indiferente às questões religiosas,que levava a sua vida tranquila em S. Marçal. No entanto, certo dia o destino se encarregou de levá-lo a Vila de Bombom, onde conhecerá a Leonor, uma menina simples, estudante de enfermagem e muito religiosa.
Estaria também o destino disposto a unir duas almas que possuíam formas tão diferentes de ver o mundo e as coisas?
Juntaria o destino, o profano e a perfeita criatura de Deus?




Não Há Mal que Sempre Dure - Agostinho Pinho

 Maria, professora do Ensino Secundário, apaixona-se por Propércio, político em ascensão, garboso e charmoso, que a inunda de felicidade. Porém, essa satisfação esbarra na cruel realidade do quotidiano. Maldade, vício, violência e consequências dramáticas vão esboroar os seus planos futuros. Mas não há mal que sempre dure... e a esperança espreita.








 Gostou? De uma passadinha no catálogo da editora e adquira o seu!


 

Beijinhos da Mady



28 Comentários

  1. Amo a Chiado Editora, eles tem ótimos títulos!!

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Nossa, quantos lançamentos e bem variados.
    Gostei
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Muita coisa legal, né não?
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  3. Não posso com tanto lançamento bom! Quero todos.

    ResponderExcluir
  4. Adoro os livros da Chiado! A cada dia conquistando mais espaço. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro! E o que mais desejamos é que eles conquistem todo o sucesso, não é?
      <3

      Excluir
  5. Oi. A Chiado tem bons livros, sou parceira e sempre fico surpresa com a qualidade dos textos. Dos citados, o que me causou curiosidade foi: As Viagens mais longas do Mundo… as da nossa Comida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian!
      É um prazer ser parceira deles, não é?
      Esse livro parece bem interessante mesmo.
      Foi um prazer vê-la aqui.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  6. São tantos lançamentos e uma história melhor que a outra ❤ a Chiado tem se superado!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Chiado quer nos falir, isso sim!
      Foi um prazer vê-la aqui, Aline.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  7. Olá Rayssa!
    NOOOOSSAAA!! Quantos lançamentos bonsss!!
    Adorei "ainda há tempo" e 'contos despertos'. A Editora chiado arrasou com tantos lançamentos!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, LU!
      Muita coisa legal e bem variada, não é?
      A Editora Chiado quer nos matar kkkkkkkkkkkkkk
      Foi um prazer vê-la aqui.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  8. Olá! Ótimos lançamentos. Vou anotar as indicações.
    Amo a Editora e as leituras sempre valem super a pena!
    Espero ter a oportunidade, bjoooo

    http://blogaventuraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lô!
      Fico feliz em saber que você gostou.
      Vale a pena mesmo.
      Foi um prazer vê-la aqui.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  9. A reportagem foi o que mais me interessou, espero ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você tenha a oportunidade!
      Agradeço pela visita :D
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  10. Olá, tudo bem?
    Nossa quanto lançamento legal. O melhor dessa editora é que além de muitos lançamentos eles são variados. Amei o post. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Faby!
      Tudo ótimo!
      A Editora é bem eclética, e pensa em todos os tipos de leitores, eu em particular acho isso ótimo!
      Fico feliz que você tenha gostado, amei a sua visita.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Parecem bem interessantes esses lançamentos!!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angélica!
      Não só parecem como são! A Editora é maravilhosa.
      Foi um prazer vê-la aqui.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  12. Olá, tudo bem? Nossa quantos lançamentos a editora vai nos trazer. Alguns títulos me instigaram como No Tempo das Roças e são bem variados no gênero. Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carool!
      Tudo uma maravilha!
      Muitos lançamentos mesmo, a editora quer nos falir kkkkkkkkkkkk
      Foi um prazer vê-la aqui.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir
  13. A Chiado está sempre com bons lançamentos e gostei bastante das novidades de janeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Editora começou o ano com tudo kkkkkkkkkk
      Né non?
      <3

      Excluir
  14. Adorei os lançamentos desse mês, os que mais me chamaram a atenção foram Cinzas de abril e O ano francês. Espero conferir as resenhas em breve.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      É um prazer tê-la por aqui, Tammy!
      Pode deixar, que já já a resenha sai.
      Beijinhos da Mady.

      Excluir