Quote Semanal

Quote Semanal

“— Ah, Edward.— Ela suspirou enquanto ele acariciava seu rosto com as mãos ensanguentadas e a beijava delicadamente.

Edward afastou o rosto dos lábios dela.

— Eu amo você”

—O Príncipe Corvo

Resenha: Maravilhosas Distopias

Zygmunt Bauman já prevê o fim da democracia, mas não consegue dizer de que forma. O mundo já não aguenta tanta desigualdade. Este famoso sociólogo polonês, vai contra as palavras da ficção cientifica que enxergam um futuro nebuloso, encoberto por brumas de mil megatons, repleto da mais intensa desigualdade e realidades múltiplas; um mundo que cada vez mais caminha para as profundezas, rumo às distopias de Aldous Huxley e George Orwell. Os contos reunidos nessa antologia procuram demonstrar o que está por trás dessa cortina nebulosa que só autores de ficção científica conseguem ver: futuros nada agradáveis numa realidade muito próxima do que antes chamavam de distopia.


Ficha Técnica:
Título: Maravilhosas Distopias
Organizador: Maurício Coelho
76 páginas
Editora: Darda Editora 
*E-book cedido pelo autor para a resenha
Gênero: Contos; Distopias
Avaliação:

Os contos são:
       1.       Superface Dawn – Ivan Y. Sikorski
       2.       A liga invisível – L. A. Nunes
       3.       Asfixia – Lu Days
       4.       Lei dos mais fortes – Claudio Mina
       5.       A abdução de Lucas – André Luiz Pinto
       6.       A Chuva – Gabriela Leão
       7.       Crimes cibernéticos – Davi M. Gonzales
       8.       Sobre corações partidos e curas indesejadas – Marcia Dantas
       9.       O Refúgio – Amauri Chicarelli
      10.      Mais um pedaço de carne – Jean Thallis
      11.      Locus Amoenus – Mauricio Coelho

Quem acompanha o blog sabe que esse não é bem nosso ponto forte, mas decidi dar uma chance a essa nova parceria. Como é uma coletânea e obras variam de primeira à terceira pessoa, irei falar um pouquinho de cada um, não vou entrar em detalhes, só o básico do básico.

Resenha: No conto Surface Down (de Ivan Sikorsky), temos a história de um grupo diminuto de hackers fazem resistência a uma organização denominada “A Bolha” que instaurou uma ditadura global. A princípio esse conto parecia deu a impressão de ser mais uma distopia juvenil, mas o final realmente me supreendeu, o autor ultilizou um simples detalhe que no princípio nem nos importamos para mudar totalmente o rumo que a história estava levando. No segundo conto, A Liga Invisível (de L. A. Nuñes), o Brasil cenário de várias guerras após uma crise hídrica, levando assim à intervenções, resistências e degradação do tecido social. A partir daí surge uma liga, várias pessoas diversificadas se unem em um ideal anarquista.
Asfixia (de Lu Days) nos conta, na visão de uma prisioneira, histórias de traição, rebeldia e opressão. Neste conto, o "Poder" tornou o mundo um tanto claustrofóbico. Já em a Lei Do Mais Forte (de Claudia Mina), neste mundo destruído, a lei do mais forte é o que torna os personagens descartáveis. São muitas as reviravoltas que vemos em um simples conto, ao entrar nesse mundo, você não irá querer sair de casa.
No quinto conto, A Abdução de Lucas (de André Luís Pinto), temos a história de Lucas, um homem do interior que está de casamento marcado, que é abduzido. E o que ele faz quando é abduzido? Ele transa com uma das alienígenas! Ô tarado, em? Vários anos se passam e eles finalmente retornam para revelar o porquê da primeira abdução.
Já em A Chuva (de Gabriela Leão) temos um tipo de distopia catastrófica, a história conta sobre uma funcionário de escritório que, em um dia de chuva, é tirado de sua rotina.
Crimes Cibernéticos (de Davi M. Gonzales) nos fala sobre um agente do Governo que caça pedófilos que compartilham vídeos um tanto pertubadores. No oitavo conto, Sobre Corações Partidos E Curas Indesejadas (de Márcia Dantas), conhecemos Dra. Dias que é ávida em sua busca pela cura de uma doença que ela não consegue entender. No entanto, Leila, sua cobaia humana a faz questionar-se em relação a todo o seu trabalho.
No nono conto, O Refúgio (de mauri Chicarelli), uma ex-cientista nuclear vive uma concretização de um apocalipse nuclear dos tempos da Guerra Fria.
Mais um Pedaço de Carne ( de Jean Thallis) fala sobre um homem solitário que compra, literalmente, uma mulher para seu prazer.
E no último conto, Escapismo Suicida (de Maurício Coelho), o personagem principal faz uma tentativa desesperada de fuga de uma cidade tomada por uma ditadura feroz.

Impressão Final: Eu enrolei, enrolei, enrolei, enrolei para ler essa antologia, sim, enrolei muuuito. Mas daí eu pensei: "toma vergonha na tua cara, você se inscreveu na parceria, você disse que ia ler, então vá ler de uma vez, Rayssa, honre a tua palavra. Já cheguei a falar que honrar a sua palavra é uma das melhores coisas da vida?? Nunca me arrependo, gente. Nunca. Nem mesmo nesse caso.
Depois que peguei para ler essa antologia, não larguei o tablet até terminar. Sério, gente.
Como em toda coletânea, o livro tem seus pontos altos e baixos. Até porquê, são várias histórias, vários autores, várias perspectivas e várias inspirações. Apesar de não ter gostado muito de alguns contos, o livro em um todo, é bom, e conseguiu atingir o significado da distopia ( para quem não sabe, de acordo com a Filosofia distopias são uma comunidade fantasiosa controlada pelo Estado ou por outros meios extremos de opressão, criando condições de vida insuportáveis a pessoas).
Cada conto possui uma peculiariadade própria baseada na perspectiva de cada autor. Para mim, o ponto alto da leitura foi o conto Sobre Corações Partidos e Curas Indesejadas, que nos mostra a procura de uma cura para a bissexualidade, é um conto de crítica social incrível.
Recomendo essa leitura a todos vocês que querem quebrar seus tabus literários e que querem parar de julgar um livro pelo gênero.

Não se esqueçam de comentar se já leram, se ficaram interessados, o que acharam da resenha, o que acham que preciso melhorar, algum livro para quebrar esses meus preconceitos literários...
Até a próxima, beijinhos da Mady.

2 Comentarios "Resenha: Maravilhosas Distopias"

  1. Oi!

    Gosto muito de leituras que envolvam distopias! Parecem contos muito interessantes!
    Amei a sua resenha, nunca havia ouvido falar desse livro, mas você me deixou com uma impressão positiva sobre ele!

    beijos
    http://infinitudedepalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lurdes. Distopia nunca foi meu gênero favorito, mas decidi dar uma chance. Esse livro realmente é muito bom, caso você leia ele, diz aqui o que você achou depois.

    Beijinhos da Mady.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Seja um

Aprendiz!

Aprendizes pelo Blogger

Aprendizes no Facebook

Aprendizes por E-mail

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *