Quote Semanal

“— Ah, Edward.— Ela suspirou enquanto ele acariciava seu rosto com as mãos ensanguentadas e a beijava delicadamente.

Edward afastou o rosto dos lábios dela.

— Eu amo você”

—O Príncipe Corvo

Entrevista com Carine Pinho, a autora de "O Noivo Sumiu"


Romântica incorrigível, a jovem Larah Alves acredita viver seu conto de fadas ao lado do namorado de adolescência Ricardo Albuquerque, nascido em berço de ouro e motivo das dores de cabeça da namorada. O namoro entre eles é conturbado, cheio de altos e baixos... Porém, tudo parece mudar quando ele a pede em casamento. Ela organiza tudo, eufórica e contente Larah não consegue admitir para ela mesma que a relação exige cuidados e promete riscos. Seu mundo vira de pernas pro ar quando seu noivo some em cima do altar, ás vésperas do casamento, Desesperada, a jovem sai em busca de respostas e nessa aventura Lucas, um cara misterioso e envolvente, dono de um bom humor irresistível, é meio que forçado á acompanhá-la. A diferença entre os dois são incalculáveis, enquanto Larah quer encontrar seu príncipe encantado e viver seu conto de fadas, Lucas acredita que o amor é um jogo, onde um dos parceiros vai trapacear em determinadas situações, enquanto ela quer ajustar seus ponteiros, ele vive uma "fase irresponsável". A parceria entre os dois promete muita aventura, boas risadas e muitas descobertas. "O Noivo Sumiu" é um romance divertido e que embala questões sobre o amor, a amizade e os relacionamentos. A intenção da autora é fazer seus leitores "literalmente" viajar em busca de respostas.

A entrevistada da vez é Carine Pinho, autora da história “O Noivo Sumiu”, a qual vocês podem perceber pela sinopse que é bem emocionante. Essa pessoa incrível concordou em ser a primeira entrevistada daqui do blog. Eu havia lido essa história há um tempo e quando vi que teríamos que ter entrevistas, eu insisti e convenci Collin de que Cacá devia ser a primeira. Logicamente eu, em um interesse um tanto quanto pessoal, adicionei perguntas que as ‘peguetes’ — membros do fã club “As Peguetes de Lucas”— e eu estávamos um tanto ansiosas para fazer. Carine não deixou a desejar, foi uma fofa respondendo a todas às perguntas e ainda deixou um agradecimento especial:

“Antes de responder às perguntas, gostaria de agradecer, primeiramente á Deus por ter me dado a honra de me apegar à escrita, à Melody e Collin Cassidy, donos desse blog incrível, pela maravilhosa oportunidade, à minha Mamys, minha guerreira, que atura a filha viciada no computador e mesmo assim me incentiva, ao meu pai, o grande herói da minha vida e que muitas vezes me ajudou, aos meus grandes amigos e à minha família meio biruta, pelo grande apoio e bons momentos, à Cir, minha amiga e designer, por sempre me presentear com suas capas divas, e a todas integrantes do grupo: “As peguetes de Lucas”, por terem me acompanhado nessa jornada e por serem as melhores leitoras do mundo. Um enorme beijo.”

Qual o seu nome completo?
Olá, galerinha. Meu nome é Carine Martins Pinho.
Qual a sua idade?
Tenho 24 anos.

Quando você percebeu que tinha vocação para escrita? 
Sempre senti essa necessidade de colocar no papel tudo o que eu sentia ou pensava, o amor pela escrita já nasceu comigo, mas nunca achei possível, um dia, eu ser considerada escritora, ainda que esse sempre tenha sido meu maior desejo. 

Quem te incentivou a escrever? 
Sem dúvidas, Carina Rissi, indiretamente. Tudo bem que eu adoraria que ela me dissesse: Vai lá garota, escreva! Mas assim que eu terminei de ler Perdida, era como se ela tivesse, de fato, gritando isso pra mim. E então, depois desse empurrão, eu embarquei de vez na adrenalina e loucura que é criar uma história. 

Como surgiu a ideia de “O Noivo Sumiu”? Qual foi sua inspiração? 
Então, imaginem a cena. Estava eu, sentada em frente a um notebook, entediada no trabalho, quando me peguei refletindo sobre mulheres que muitas vezes abrem mão de sonhos e prioridades por causa de um relacionamento. Foi quando conheci Larah, surgindo feito um furacão, me contando todo seu dilema. Minha grande inspiração foram os chick-lits divinos escritos por Carina Rissi, nos quais, finalmente, eu me encontrei. 

Por que o nome da história é “O Noivo Sumiu”? 
Porque o danadinho do Ricardo resolveu sumir (risos). O título foi o primeiro a surgir, antes mesmo de eu começar a escrever a história. Ele foi o convite para eu desvendar esse mistério. 

Como foi o processo de criação da história? 
O processo foi cheio de emoções e desafios. Trabalhar em ONS não foi fácil, mas foi maravilhoso. Primeiro, eu escrevi cerca de 180 páginas — ainda sem saber o porquê do sumiço de Ricardo. Depois disso, senti que ainda não estava bom o bastante e deixei de lado o documento e tentei voltar minha vida normal. Mas, óbvio, isso já não foi possível. Todo santo dia, a história foi se desenvolvendo em minha cabeça, fui conhecendo Larah, sua família, seus amigos, e anotando pequenos trechos no celular. Assim que eu postei no Wattpad, já com a história pelo meio, conheci leitoras maravilhosas, que acreditaram em mim e me ajudaram muito, tornando o processo ainda mais divertido e empolgante. Eu digo que foi uma experiência única e indescritível, totalmente surreal. Mas valeu a pena cada segundo que dediquei a NOS 

Qual foi o maior obstáculo que você enfrentou com a história? 
A Síndrome Da Página em Branco. Sabe, você tem toda a história na sua cabeça, seus personagens conversam e até gritam contigo, contando mil e uma coisas e daí você pensa: Vai ser moleza! Não, não vai. De frente para o computador, as coisas somem da sua cabeça e enquanto seu coração deseja escrever, seu cérebro não consegue formular pensamentos coerentes. Isso é assustador. 

Dê-nos um resumo geral da história. 
Vamos lá. Minha história é contada por Larah — uma jovem extremamente romântica —, que está feliz da vida por ter sido finalmente pedida em casamento por Ricardo, seu namorado de longa data. Tudo bem que o namoro entre eles não é um mar-de-rosas, mas Larah acredita que tudo vai dar certo. Contudo, Ricardo resolve sumir um dia antes do casamento, sem explicação, deixando a noiva desesperada e aflita. Ao invés de deixar o assunto de lado, ir pra casa e chorar pelo pé na bunda, Larah decide ir em busca de respostas, afinal, se Ricardo não queria casar por que raios lhe pediu em casamento? Essa era a grande questão que girava em sua cabeça. E então, um plano meio maluco é formado em sua cabeça e ela embarca em uma viagem cheia de obstáculos, na companhia de Lucas, que é meio “forçado” a acompanhá-la. Os dois são totalmente diferentes, enquanto Larah quer consertar seus ponteiros e viver seu conto de fadas, Lucas vive uma fase irresponsável e acredita que o amor é um jogo, onde um dos parceiros vai trapacear em algum momento. O que os dois não sabem é que suas teorias não estão totalmente certas e que ainda sabem muito pouco sobre o amor. Minha intenção foi fazer com que o leitor viaje, literalmente, em busca de respostas. 

Recebeu criticas negativas? Se sim, como reagiu a elas? 
Uma vez — pelo menos que eu saiba. Tá legal, não foi algo que eu gostaria de ouvir, mas também não posso dizer que não me ajudou de alguma forma. Não é muito legal receber uma crítica, principalmente sobre algo que você está tão apaixonado e envolvido. É como se chegasse um presente e você estivesse doido pra abrir, achando que encontraria uma caixa de chocolates, mas se decepciona quando uma dinamite explode em suas mãos; foi mais ou menos a sensação. Fiquei triste, desanimada, desacreditada... Mas o Cara lá de cima, que sempre confiou em mim, me deu forças e eu acabei levando a opinião para o lado construtivo e decidi que faria o possível para melhorar. E acho que está funcionando! 

Enquanto escrevia, em algum momento você pensou em jogar tudo pro alto? 
Sim, incontáveis vezes. Acho que todos que escrevem são tomados por uma súbita insegurança. Pelo menos, isso aconteceu comigo. Muitas vezes achei que não daria conta do recado, que as pessoas não iriam gostar e assim inúmeras críticas cairiam sobre mim e eu não conseguiria ir em frente. Mas, quanto mais eu pensava em desistir, mais vontade me dava de escrever. É um conflito interno meio maluco. Só que, uma vez ONS postado no Wattpad, eu não poderia cogitar a hipótese de abandonar o barco. A história já havia conquistado algumas leitoras e eu sabia que seria morta ou apedrejada, caso parasse de escrever, e isso foi um enorme incentivo, afinal, eu prezo minha vida (risos). 

Você se identifica mais com Larah ou com algum outro personagem? 
Com minha mocinha; Larah. Essa garota romântica, apaixonada, e que sempre esperou viver seu conto de fadas e conhecer o tão sonhado príncipe encantado, já existiu dentro de mim. Outro ponto em comum é o fato de Larah amar apostas, jogos de biscas e crer veemente no destino e em sinais. 

Tirando nosso querido casal principal, com qual personagem você mais se apegou? 
Ai gente, essa é difícil. Eu me apeguei á todos – exceto à Verônica e Eduardo. Mas, vamos lá, depois de todo conflito e descobertas, o danadinho do Ricardo despertou um enorme carinho dentro de mim. Eu sinto uma grande vontade de abraçá-lo e protegê-lo. Sim, viramos grandes amigos no fim das contas. 

Para você, qual característica que mais marca nosso querido Lucas? E a Larah? 
Lucas, diferente de todos os mocinhos que conheço, é medroso. Muito medroso. Acredito que esse seu medo fofo é o que mais lhe caracteriza e o diferencia dos demais, mas gosto muito do seu senso de humor. Já em Larah, seu ponto forte é a determinação, quando ela acredita em algo, vai até o fim, mesmo quando tudo parecer perdido, essa garota ainda continua a lutar pelo que quer

Se você fosse estivesse na pele da Larah, mudaria algo que aconteceu? 
Eu e Larah somos muito determinadas quando queremos algo, então, com certeza, eu iria até o fim pra descobrir a razão de ter sido abandonada em plenas vésperas do casamento, talvez eu não infligisse a lei como ela fez, se bem que no amor e na guerra vale tudo. Mas, eu aproveitaria mais a viagem, sobretudo a companhia. Afinal, não é todo dia que se tem a sorte de viajar ao lado de um mocinho lindo com covinhas. Eu não perderia a chance. 

Qual a cena que você mais demorou a escrever? Qual foi sua dificuldade nela? 
A cena que eu mais demorei pra escrever foi a parte de Lucas no hospital, passei dois dias para concluir, porque uma série de emoções tomou conta de mim, meu emocional estava em frangalhos e meu lado racional tentava a todo custo desenvolver aquele momento crucial. Foi difícil, mas valeu à pena. 

Você, no grupo “As peguetes de Lucas”, deu a notícia de que planeja publicar um livro físico da história. A intenção continua a mesma? 
Sim, sempre. Eu já avisei que sou determinada, então não aquietarei o faixo enquanto não ver ONS nas bancas. 

Se sim, conte-nos um pouco do que está acontecendo, e sobre o que podemos esperar desse livro. Já conseguiu uma editora? 
Então galerinha, eu estou reescrevendo a história, quero deixar meu texto mais maduro e pra isso conto com a ajuda da minha leitora-beta e irmã, Jessica Pinho. Assim que eu concluir o livro, já revisado, o enviarei para as editoras, aguardando a resposta. Prometo deixar o grupo sempre a par das novidades, e, espero que elas sejam boas. Portanto, dedos cruzados, pessoal! 

Tem alguma mudança drástica que você fez ou vai fazer no enredo? 
Não pretendo fazer mudanças drásticas, mas quero acrescentar algumas coisas. Meu objetivo é deixar a leitura mais leve e divertida, e a viagem um pouquinho mais maluca, digamos que tudo o que surgir será apenas pra somar, essa é minha intenção. 

Qual foi a cena mais te emocionou? 
Ah! Com certeza a cena do meu mocinho no hospital. Aquilo acabou comigo, foi como se eu adoecesse junto com Lucas e só me recuperasse depois que ele ficou bem, não tive como conter minhas lágrimas. 

Para finalizar, a sua citação favorita de “O Noivo Sumiu”? 
Minha citação favorita? Lá vai: 
“Eu pensei que sabia tudo sobre amar e ser feliz e que brincar de casinha era suficiente para uma vida a dois. Acreditei que minha vida seria um conto de fadas e que todas as pessoas eram boas. Mas daí, a vida vira de cabeça pra baixo e eu percebo que nem eu sou completamente boa, que somos humanos e que sempre vamos errar. E o que importa não é a forma como você vai cair e sim o modo como levantará depois de tudo.” 


Contatos da autora:
Facebook: http://migre.me/rbJ1OE-mail: Karinemartins.pinho@hotmail.com
Fã Club: http://migre.me/rbJbRLink da história: http://migre.me/r26X7

0 Comentario "Entrevista com Carine Pinho, a autora de "O Noivo Sumiu""

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Seja um

Aprendiz!

Aprendizes pelo Blogger

Aprendizes no Facebook

Aprendizes por E-mail

Formulário de Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *